Você não precisa de mais seguidores. Nem eu.

Será que nós, pessoas físicas, precisamos de sempre mais seguidores nas redes sociais? Será que estamos ficando obcecados com os números como se precisássemos prestar contas para alguém? Estou perguntando isso porque acho que a resposta é sim.

Eu gosto do Twitter. Eu adoro quando chegam novos seguidores e sempre penso um “poxa” quando algum seguidor se vai. Mas gente, vamos combinar uma coisa? Eu não preciso de mais followers. Nem você. Nem ninguém. Em lugar nenhum. A graça não está aí.

Sabe um negócio que eu gosto mais do que novo seguidor? Nova notificação. E quando o papo é legal, com alguém que eu ainda não conheci pessoalmente, e, ainda por cima, rende, maravilha! Não precisamos de mais seguidores. Precisamos de melhores seguidores. Precisamos de interação.

Percebo algumas pessoas postando conteúdo genérico em suas redes só para atingir um público maior. Já fiz isso. Sabe qual é o resultado? Pessoas genéricas te seguem de volta. Você posta sobre um tema X, um robozinho te acha pela palavra-chave e, pimba, novos seguidores. É bom e válido, se você quer volume. Mas quem quer volume nas redes sociais pessoais? Eu não posto no Twitter para ganhar novos seguidores, eu posto para conversar com as pessoas.

Estou tentando ser o menos genérica possível agora. Não fico falando das minhas finanças ou das minhas consultas médicas. Redes sociais não são para isso, people! Mas falo do que me interessa, mesmo que o que eu goste não seja uma hashtag trending topic. Nunca é. Ultimamente, por exemplo, estou obcecada pelo novo CD do Nightwish. A música é incrível, Floor Jansen é perfeita e as letras falando de Carl Sagan e Henry David Thoreau são fantásticas. Vou postar muito sobre isso. E o legal é que, mesmo que 90% das pessoas não saibam do que diabos eu estou falando,  os outros 10% vão adorar e querer trocar ideias comigo sobre o álbum. E, aos poucos, essa proporção vai se ajustando.

Austin Kleon (também estou obcecada pelo trabalho dele) fala disso em seu livro “Show your Work”. A ideia dele é o seguinte. Não se preocupe com modinhas, nem com o número de seguidores. Não jogue para a plateia. Fale do que você gosta, compartilhe o que você gosta, e outras pessoas interessadas nos mesmos assuntos vão encontrar você. Adorei.


“Make stuff you love and talk about stuff you love and you'll attract people who love that kind of stuff. It's that simple.  Don't be creepy. Don't be a jerk. Don't waste people's time. Don't ask too much. And don't ever ask people to follow you. "Follow me back?" is the saddest question on the Internet”.  -- Austin Kleon

        [Clica lá no título para curtir e comentar, vai!]

 


Vamos conversar no twitter@suzanavalenca

Adoro o Instagram. Vamos nessa? @suzanavalenca ou @3girlsabunchofbook

Precisa de produção de conteúdo para a internet? Conheça meus serviços