O jeito errado de perguntar

Esses dias, ouvi um especialista em comunicação falar sobre como, às vezes, as pessoas fazem uma pergunta não para obter uma resposta, mas para chamar atenção para si. Já reparou nisso?

O especialista era Misha Glouberman. Ele ensina comunicação e negociação em um curso maravilhosamente batizado de “Como falar com pessoas sobre coisas”. Para o podcast You Are Not So Smart, ele explicou que ouve muitos questionamentos durante as aulas. Um tipo de indagação, entretanto, o deixa irritado.

3 maneiras de fazer a pergunta certa

“Dizem que não existe pergunta errada. Claro que existe. Então as pessoas me perguntam o que é uma pergunta ruim e eu digo ‘boa pergunta’”, brinca Glouberman. Ele descreve alguns problemas que já encontrou e conta o jeito certo de se levantar uma questão:

  • Faça uma pergunta de verdade - “Uma boa pergunta é sempre… uma pergunta”. Às vezes, a pessoa só quer dá uma declaração. Levanta a mão no meio de um evento ou de uma aula, fala o que quer e pronto. “Você não pode pegar uma opinião e disfarça-la de pergunta. Como eu vou responder uma opinião?”.

  • Pergunte de uma vez só - Sabe aquele negócio de pergunta em duas partes? Não cola. “São duas perguntas. Eu aconselho você perguntar a melhor delas”.

  • Pergunte o que você quer saber - Para Glouberman, a questão tem que ser movida por uma vontade sincera de ouvir a resposta. “Olhe para dentro de si. Olhe para o seu coração, com honestidade, e perceba que sentimentos você tem. Se você sentir curiosidade, é um bom sinal”.

Fuja do orgulho

Deste exercício de auto análise, vem a última orientação: tenha certeza de que você não está fazendo a pergunta só para se exibir. Glouberman brinca que, se você sentir muito orgulho da sua pergunta, você pode estar no caminho errado.

“A sensação para a qual devemos estar atento é o sentimento de orgulho. Talvez, ao sentir a pergunta, você acabe pensando: na minha vida, até agora, as pessoas não me concederam o respeito que eu mereço. Mas tenho certeza de que, assim que as pessoas ouvirem essa pergunta, o jogo vai virar para o meu lado. Preste atenção às imagens mentais que lhe vem à cabeça quando você analisa a pergunta. Quando você se imagina fazendo a pergunta, você é misteriosamente enorme? Você é feito de ouro?”

Se você estiver se sentindo enorme, de ouro, enfim, o máximo por conta do que pretende perguntar, passe sem.

O que você acha?

Leia mais sobre podcasts

(Imagem: Unsplash)

 


Vamos conversar no twitter@suzanavalenca

Adoro o Instagram. Vamos nessa? @suzanavalenca ou @3girlsabunchofbook

Precisa de produção de conteúdo para a internet? Conheça meus serviços